Saiba como foi o lucro das gigantes de tecnologia no 1º trimestre

O fechamento dos resultados do 1º trimestre de 2019 apresentou 1 cenário de desafio para as grandes empresas de tecnologia dos Estados Unidos.

O empreendimento na área de computação e smartphones de instituições como Apple, Samsung e Google apresentou queda nos lucros no 1º trimestre de 2019. A receita da empresa da maçã caiu em 5%; o lucro trimestral em 16%.

A receita da Samsung caiu 13,7% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O lucro trimestral ficou em US$ 5,4 bilhões, menor valor registrado no 1º trimestre desde 2016. Já a Alphabet, empresa-mãe do Google, teve queda de lucro em 29,2%, mas apresentou alta de 16,7% na receita.

Em contrapartida, empresas como Microsoft e Amazon apresentaram alta tanto na receita quanto no lucro líquido.

O Twitter apresentou receita com crescimento de 18% e alta de 213% no lucro líquido. Porém, houve queda no número de usuários ativos.

Já o Facebook teve alta de 0,6% na receita e lucro com queda de 51%. A quantidade de usuários ativos por dia teve 1 avanço de 8%.

A Netflix obteve crescimento de 157% no lucro líquido em relação a 2018. Já a montadora Tesla apresentou 1 prejuízo de US$ 702,1 milhões e receita de US$ 4,5 bilhões no período.

Eis os principais resultados de empresas de tecnologia no 1º trimestre de 2019.

EmpresaReceitaLucro Líquido
Alphabet36,36,7
Amazon59,73,6
Apple5811,6
Huawei26Não Divulgado
Intel16,14,0
Microsoft30,58,8

APPLE

  • Receita – US$ 58 bilhões
  • Lucro líquido US$ 11,6 bilhões

A receita registrada pela marca da maçã no 1º trimestre chegou a US$ 58 bilhões e US$ 2,46 por ação. Os números registram queda de 5% e 10%, respectivamente, em relação ao ano anterior (US$ 61,1 bilhões e US$ 2,73)

Já o lucro trimestral apresentou decaimento de 16% em comparação aos anos de 2018 para 2019. Foi de US$13,8 bilhões para US$11,6 bilhões.

A expectativa da receita para o 2º trimestre fiscal de 2019 está entre US$ 52,5 bilhões e US$ 54,5 bilhões.

SAMSUNG

  • Receita – US$ 44 bilhões
  • Lucro líquido – US$ 5,4 bilhões

No 1º trimestre a empresa sul-coreana apresentou receita de US$ 44 bilhões, com queda de 13,7% em comparação ao valor de US$ 51 bilhões registrado em 2018. Já o lucro trimestral ficou em US$ 5,4 bilhões, menor valor registrado no 1º trimestre desde 2016.

Os principais fatores para a queda foram as baixas vendas de smartphones e menores demandas de chips de memória.

HUAWEI

  • Receita – US$ 26 bilhões
  • Lucro líquido – não divulgado

A fabricante chinesa divulgou crescimento de 39% na receita do 1º trimestre de 2019, registrada em US$ 26 bilhões. Ao todo foram vendidos 59 milhões de smartphones no período. A multinacional, porém, não informou os dados sobre lucro líquido real e valor por ação.

A crise entre a Huawei e os EUA é parte da guerra comercial entre norte-americanos e chineses. Os aparelhos da fabricante já foram bloqueados nos 2 maiores países da Oceania –Austrália e Nova Zelândia. Em justificativa, Donald Trump apontou suposta espionagem do governo de Xi Jinping por meio da empresa de tecnologia.

MICROSOFT

  • Receita – US$ 30,5 bilhões
  • Lucro líquido – US$ 8,8 bilhões

A Microsoft registrou uma receita global de US$ 30,5 bilhões no 1º trimestre de 2019, aumento de 13% ante US$ 27 bilhões na comparação com o ano anterior. O lucro subiu 18,6% para US$ 8,8 bilhões em relação aos US$ 7,42 bilhões registrados no ano passado. O lucro por ação de 2019 foi de US$ 1,15.

Apenas o serviço de inteligência artificial e computação em nuvem, o Intelligent Cloud, obteve crescimento de 20% (de US$ 8 bilhões para US$ 9,6 bilhões).

INTEL

  • Receita – US$ 16,06 bilhões
  • Lucro líquido – US$ 3,97 bilhões

A Intel obteve lucro líquido de US$ 3,97 bilhões no 1º trimestre de 2019. O número é 11% menor do que na comparação com o mesmo período de 2018. Já o ganho por ação foi de US$ 0,87 ante US$ 0,93 do ano passado. No entanto, a receita líquida da Intel ficou em US$ 16,06 bilhões, a mesma em relação ao ano passado.

ALPHABET

  • Receita – US$ 36,34 bilhões
  • Lucro líquido – US$ 6,66 bilhões

A Alphabet, empresa-mãe do Google, obteve lucro líquido de US$ 6,66 bilhões no 1º trimestre de 2019. O número representa uma queda de 29,2% em comparação com o mesmo período de 2018. Já o ganho por ação foi de US$ 9,50 para US$ 13,33. Em contrapartida, a receita teve 1 avanço de 16,7%, fechando em US$ 36,34 bilhões.

AMAZON

  • Receita – US$ 59,7 bilhões
  • Lucro líquido – 3,56 bilhões

A empresa norte-americana apresentou lucro do 1º trimestre acima das estimativas do mercado, registrado em US$ 3,56 bilhões –mais que o dobro do mesmo período em 2018 (US$ 1,62 bilhão): alta de 120%. O lucro por ação foi de US$ 7,09, contra US$ 3,27 em 2018. Já a receita ficou em US$ 59,7 bilhões.

A expectativa de lucro operacional para o 2º trimestre é entre US$ 2,6 bilhões e US$ 3,6 bilhões, comparados aos US$ 3 bilhões registrados no 2º trimestre de 2018.

TWITTER

  • Receita – US$ 787 milhões
  • Lucro líquido – US$ 191 milhões

A receita registrada pela rede social no 1º trimestre foi de US$ 787 milhões, crescimento de 18% comparado ao ano anterior. O lucro trimestral também apresentou alta, de US$ 61 milhões (2018) para US$ 191 milhões (2019). Crescimento de 213%.

Já a  medida dos usuários ativos ficou em 330 milhões. Em relação à comparação entre os 1º trimestres de 2018 e 2019, houve uma queda. O número é justificado pela exclusão de milhões de contas falsas que a rede realizou no último ano. Já em comparação do 1º trimestre de 2019 com o 3º trimestre de 2018), a quantidade de usuários representou 1 aumento de US$ 9 milhões.

Para o 2º trimestre de 2019, a plataforma trará nova medida que irá contabilizar os usuários ativos diários monetizáveis, ou seja, os que trazem mais valor para a companhia por meio de engajamento. A expectativa para o próximo trimestre é de receita entre US$ 770 milhões e US$ 830 milhões e lucro operacional entre US$ 35 milhões e US$ 70 milhões.

FACEBOOK

  • Receita – US$ 15,08 bilhões
  • Lucro líquido  – US$ 2,42 bilhões

A receita total da empresa de Mark Zuckerberg foi de US$ 15,08 bilhões, crescimento de 0,6% em relação ao 1º trimestre do ano passado -US$ 14,98 bilhões. Em contrapartida, o lucro apresentou queda de 51%, registrado em US$ 2,42 bilhões. Já o valor de por ação foi de US$ 0,85.

No anúncio de prestação de contas, a empresa afirmou que está guardando caixa para uma multa que será exigida pela Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês), dos EUA, a qual espera-se que gire em torno dos US$ 3 a US$ 5 bilhões.

A cobrança, está relacionada com o escândalo de 2018 envolvendo a Cambridge Analytica, em que a rede social foi acusada de permitir o uso indevido de informações de seus usuários.

A quantidade de usuários ativos ficou em torno de 1,56 bilhão, em média, por dia enquanto que a média mensal foi de 2,38 bilhões -ambas com avanço de 8% comparadas ao ano anterior.

NETFLIX

  • Receita – US$ 4,5 bilhões
  • Lucro líquido – US$ 344 milhões

O streaming arrecadou US$ 4,5 bilhões no período e o lucro operacional chegou a US$ 344 milhões, com crescimento de 157%, em relação a 2018, registrado em US$ 134 milhões no 1º trimestre. As expectativas para o 2º trimestre de 2019, porém é de lucro de US$ 249 milhões, com receita em torno de US$ 5 bilhões.

Porém, a plataforma tem ganhado cada vez mais concorrentes. Pesquisa da Ampere Analysis, publicada pelo site Hollywood Reporter, mostra que essa forma de consumo de TV está cada vez mais popular. Porém, só no Brasil, a Netflix, já detém quase 1/5 (18%) dos clientes de serviço de streaming, de acordo com pesquisa realizada em junho de 2018 pela Business Bureau.

TESLA

  • Receita – US$ 4,5 bilhões
  • Prejuízo –US$ 702,1 milhões

Com baixa taxa de saída de veículos, a montadora de carros elétricos totalizou 1 prejuízo de  de US$ 702,1 milhões, com redução de 1%  em relação a perda de US$ 709,5 milhões registrado no mesmo período de 2018. Por ação o prejuízo foi US$ 4,10.

A montadora já esperava fechar o período no negativo. Porém a estratégia de reduzir os preços dos veículos e investir mais para tentar aumentar as vendas de carros não foi alcançada.

No total, foram US$ 4,5 bilhões de receita, perto da metade dos US$ 7,2 bilhões do 3º trimestre de 2018. Porém em relação ao 1º trimestre de 2018, registrado em US$ 3,4 bilhões, a alta foi de 32,3%.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s